Olá a tod@s!

Hoje venho falar-vos de um assunto que, na minha opinião, é muito importante e pertinente para as grávidas e recentes mamãs.

Pessoalmente, eu senti bastantes dificuldades ao amamentar o meu bebé e sinceramente senti-me muito pouco acompanhada pelo hospital onde tive o meu bebé… como tal, gostaria de vos dar algumas dicas (básicas claro, pois baseiam-se apenas na minha experiência) para quem, tal como eu, se sentiu desamparada.

Como já vos tinha dito numa rubrica anterior, eu tive o meu bebé num hospital público. Eu e o meu bebé fomos mesmo muito bem tratados no parto e no pós-parto, excepto no que diz respeito à educação para a amamentação.

A amamentação por vezes não é um ato tão natural quanto as pessoas nos tentam dizer que é. E é bastante cansativo, pois o bebé, pelo menos no primeiro mês, deve mamar em intervalos não superiores a 3 horas (entre o inicio da primeira mamada e o inicio da próxima)… Ou seja, entre dar de mamar, mudar a fralda, dar colinho ao bebé para dormir, acaba por sobrar cerca de apenas 1h e meia (isto quando o bebé adormece logo) para a mamã descansar, até à próxima mamada.

Por esta razão, é essencial o apoio e ajuda do papá nestes primeiros tempos, pois é importante que a mamã consiga descansar nos períodos em que o bebé descansa. Por isso, e é o nosso conselho, as recém mamãs que esqueçam as lidas da casa (ou minimizem os esforços), que aproveitem os momentos em que o bebé dorme, para também elas dormirem… Os papás podem e devem dar uma ajuda com o bebé e a lida de casa. Cá em casa foi assim, e um ano depois, ainda continuo a amamentar o meu bebé.

Por outro lado, não é só o descanso que se torna “uma dificuldade” ao ato de amamentar. Como referi, é preciso conhecer bem a posição correcta de amamentar. As gretas e dores ao amamentar surgem da incorrecta posição da boca do bebé ao ser amamentado. Isto claro, é a nossa experiência: eu tive várias gretas, vários problemas ao amamentar, fui ao hospital, onde me disseram que continuasse (mesmo com dores) porque tinha muito leite, e tive que ir pesquisar, informar-me, para perceber que afinal o meu bebé não estava a fazer a pega correcta. Após corrigir isso, para mim, tudo correu bem na amamentação.

Por isso, o que sugerimos é, se não tiverem apoio no hospital ou no centro de saúde, há muita informação disponível online sobre este assunto, há voluntárias que ajudam as recentes mamãs na questão da amamentação (vejam o site SOS Amamentação), e podem mesmo recorrer a clínicas que “ensinam” e ajudam na prática da amamentação e podem dar-vos uma ajuda.

Nós já descobrimos essas informações muito tarde, por isso vale sempre a pena partilhar convosco!

Até à próxima! 🙂

Related Posts with Thumbnails