Search here...
TOP
Minimalismo

Minimalismo #15 – Tempo Livre!

Pois é minha amigas 🙂 Para quem tem dúvidas, o titulo diz tudo. Pensem comigo:

Se temos menos coisas, perdemos menos tempo a limpar coisas, certo?

E ficamos com mais tempo livre.

Quando perguntam o porquê de querer adoptar este estilo de vida, eu respondo sempre: Quero ter tempo para fazer o que gosto e o que me faz feliz.

Embora goste imenso das lides domésticas, e vocês sabem disso, eu quero viver a vida. Não quero ser escrava da casa. O meu próximo objectivo é não fazer tarefas domésticas nas minhas folgas. Não quero ter essa preocupação.

Vou tentar fazer tudo durante a semana. Para poder aproveitar o sábado e domingo com séries, documentários, descanso, pessoas que gosto, passeios e quero aproveitar muito o meu Simão que já tem quase 12 anos. Mas como ainda estou no inicio desta viagem, ainda não consigo fazer isso. Mas é um plano para um futuro próximo.

É tudo uma questão de planeamento e organização que vou fazer durante a semana. Nem que limpe uma divisão por dia. Já aplico a regra dos 30 minutos, mas por este andar e porque ando a destralhar, sinto que o meu objectivo vai ser cumprido em breve.

Baby steps 🙂

Related Posts with Thumbnails

«

»

2 COMMENTS

  • Cláudia

    Olá Mônica, sei que vocês vão me massacrar mas eu não entendo e nem concordo com este tão de minimalismo. Na minha opinião é tipo "s não posso falo que não gosto". Sou a favor de adquirir tudo que tenho vontade e que me dá prazer. É lógico que não sou a favor do consumo descontrolado mas meu pensamento é trabalho muito para me privar das minhas vontades. Portando se quero uma casa cheia de objetos, limpar e cuidar deles me alegra.
    Desculpe se não tenho a sabedoria para entender e apoiar o minimalismo. Beijos

  • Maria

    Eu acho que esta coisa do minimalismo pode ser entendida de várias maneiras:
    1. Não posso ter, portanto, vamos fingir que gosto de não ter.
    2. Não posso ter e aprendi a gostar de não ter.
    3. Não posso ter mas descobri que afinal até gosto de não ter.
    4. Poderia ter, mas escolho não ter.
    5. Posso ter e tenho.
    Todas as hipóteses são igualmente válidas.
    Há muita gente que segue o minimalismo levado ao extremo, e confesso que me faz alguma confusão, tal como a poupança. Na verdade, acho que tudo o que é extremo não faz bem a ninguém… O que é importante é que cada um se sinta bem com as suas decisões!
    Eu, por exemplo, odeio tralha em cima dos móveis. Não serve para nada a não ser limpar, e por isso tenho apenas as coisas que me são úteis. Mas se alguém tiver 30 mil bonecos e quiser passar tempo a limpá-los e organizá-los, para mim tudo bem. 🙂
    Da mesma maneira que até acho que sou poupada, mas a minha empregada doméstica seria a última coisa da qual abdicaria. 😉

Responder a Cláudia Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *