images

Perguntam-me muitas vezes se a minha vida melhorou por estar a trabalhar.

Claro que mudou. Muda sempre certo?

Mas há ainda muitas coisas a tratar e a resolver.

Foram dois anos desempregada, é claro que estive 3 meses e meio integrada num Contrato de Emprego Integrado, estive 9 meses a fazer cursos de formação, mas trabalho a ganhar um ordenado por inteiro, este mês vai ser o primeiro. Até estou emocionada.

Faço imensas contas. Este dinheiro que vou receber, já está todo distribuído.

Vou finalmente voltar (depois de muito tempo) ao sistema dos envelopes.

Depois mostro como faço a distribuição em termos de compras de supermercado e despesas fixas.

Voltando ao período MUITO MAU. Este é apenas MENOS MAU. Nunca fui pessoa de baixar os braços. Pensei em desistir mais do que uma vez. As palavras “não vou conseguir”, “não sou capaz”, ”não tenho força para mais” já fizeram parte do meu dia-a-dia.

Hoje depois de ter feito a minha agenda (sai em Novembro), de ter passeado cães alheios, de ter lavado escadas, de ter vendido grande parte das minhas coisas (um dia faço um post), de ter passado fome, posso dizer que estou no bom caminho.

Cometi alguns erros mas levanto-me sempre. Penso sempre que a vez seguinte vai ser melhor.

Perdi amigos por opções que tomei, perdi amigos que ao mais pequeno erro desligaram-se, perdi amigos que hoje fazem-me falta (não em termos monetários), perdi amigos, só porque eu mudei.

Há coisas importantes na vida, principalmente nestas alturas menos boas, que são o convívio, e o saber que podemos ter apoio, que podemos ligar só para desabafar, perdi muita coisa e por vezes muito mais importante do que o dinheiro.

Mas o dinheiro ainda é base de tudo. Quer queiramos quer não e sem ele não podemos viver.

Há imensas pessoas com dificuldades e o que aconselho é não desistirem.

Não podem perder a cabeça nem chegar ao desespero que eu já cheguei.

Estou aqui se precisarem de desabafar. Porque acreditem que faz bem. Faz muito bem à alma!

Related Posts with Thumbnails