Mónica, Lisboa, Portugal
Arquivo
Translater
    Translate to:

O meu Simão
Marca Registada!

marca registada
Resposta aos E-Mails
Sábado e Domingo
Ajude os Animais!
Imagens!
Algumas das fotos deste Blog são retiradas da internet, se alguém tiver os direitos de autor, é só me enviar um mail que eu retiro...as minhas podem utilizar se possível com o link para aqui.
Escolhe o dia!
Novembro 2017
STQQSSD
« Out  
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930 
O que ando a ler!!!

Archive for the ‘Rubrica’ Category

O Meu Refúgio Culinário: Tarte de Morangos, com Creme de Pasteleiro em Massa Folhada!

Terça-feira, Novembro 21st, 2017

 

Hoje a  Mary Soliani do blog “O Meu Refúgio Culinário” traz-nos uma tarte de morangos.

De babar e muito simples de fazer.

Ingredientes:

1 Placa de Massa Folhada

Creme de Pasteleiro

Morangos q.b.

Preparação:

No dia antes de servir a tarte, colocar a massa folhada no forno, durante uns 15 a 20 minutos (até folhar/crescer).

Depois de acabar o tempo, desligar o fogão.

No dia seguinte, preparar o creme de pasteleiro e cobrir toda a massa folhada.

Decorar com morangos.

Bom apetite!

Também podem encontrar a Mary no Facebook e também no Instagram

A Rubrica da Vanessa – Natal Branco!

Segunda-feira, Novembro 20th, 2017

Imagem

Falta pouco mais de um mês para o Natal.

As lojas já estão há muito repletas de decorações natalícias e agora que o frio chegou, dificilmente conseguimos fugir ao clima desta época tão bonita.

Ahhh, pinheiros e luzinhas cintilantes…

Hoje trago várias imagens inspiradoras para aqueles que têm preferência por um Natal predominantemente branco.

Algumas mais clássicas , outras mais industriais e algumas de inspiração nórdica e minimalista.

Se gostam deste tons, inspirem-se e transformem o vosso lar num caloroso mundo repleto de neve e seres encantados.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

A Vanessa também escreve aqui. Num sitio só seu.

Visitem Um Sonho só Meu

Rubrica: Sobre as Rotinas por Sara Passo!

Quinta-feira, Novembro 16th, 2017

Descobri depois de ser mãe, que sou uma pessoa que gosta de rotinas. Quando tive a minha filha mais velha, toda a gente me aconselhava rotinas, para banhos, comidas, hora de ir para a cama, ajuda o bebé e a criança a saberem o que os espera e torna as tarefas mais fáceis. Resultou para mim, principalmente a rotina que criei para as deitar. Jantar, banhinho quente para acalmar, uma história e cama, realmente a coisa parece-me que funciona melhor assim.

À medida que a mais velha começou a crescer, as rotinas começaram a ser mais quebradas, mas ela também já percebe melhor as coisas e já é muito mais fácil para ela lidar com imprevistos e coisas que fogem à regra. Com a bebé, a principal rotina que uso é na hora de ir para a cama, tento que seja sempre à mesma hora e seguindo sempre os mesmos passos. O que eu descobri, foi que mudar a rotina, às vezes é mais complicado para mim, do que para elas. Admito que entro um bocadinho em stress e sofro por antecipação quando sei que a vou quebrar, e isto é uma luta comigo mesma, ainda me lembro da primeira vez que saímos com a mais velha para ir passear numa noite de verão depois do jantar, estava uma pilha de nervos a pensar que a criança não ia dormir bem, que lhe ia fazer confusão, o diabo a sete! Como é óbvio correu tudo bem, dormiu na mesma, não acordou mais do que devia durante a noite e os pais adoraram poder passear depois da hora de recolher.

Dito isto, ainda não consegui quebrar a rotina com a mais pequenina, ainda não jantei em casa de amigos nem em restaurantes com ela (fica sempre em casa dos avós) e está-me a fazer comichão o natal que vai ser passado fora com a família em que o voo calha mesmo à hora de banhos e dormidas, o meu ser interior, aquele que pensa logicamente e me acha ligeiramente parva, sabe que é ridículo, mas a maníaca dos controlos ainda vem à superfície de vez em quando para me atazanar o juízo e me fazer sofrer por antecipação.

O Meu Refúgio Culinário – Peixe Assado com Batatas!

Quarta-feira, Novembro 15th, 2017

 

Hoje a  Mary Soliani do blog “O Meu Refúgio Culinário” traz-nos um peixe no forno. Adoro peixe e vou com certeza experimentar.

Ingredientes:

2 Peixes Vermelhos Congelados

4 a 5 Batatas Pequenas

Polpa de Tomate

Salsa (Aromáticas Vivas)

Sal q.b.

Alho Picado

Azeite q.b.

(Antes do forno)

Preparação:

Colocar os peixes vermelhos, num pirex. Descascar as batatas e cortar ao meio e deitar entre o peixe. Regar com azeite e polpa de tomate.

Temperar com sal e alho a gosto. Envolver mesmo com mãos.

Colocar um raminho de salsa entre o peixe.

Deitar no forno pré-aquecido a 180º, durante uns 35 a 40 minutos.

A meio da cozedura, virar o peixe e as batatas, para cozer uniformemente.

Bom apetite!

Também podem encontrar a Mary no Facebook e também no Instagram

Lima Limão Consultoria de Imagem!

Quarta-feira, Novembro 15th, 2017

Mais uma rubrica da Lima Limão – Consultoria de Imagem com o tema:

5 questões a responder antes de comprar uma nova peça de roupa

Usar uma abordagem minimalista na construção do seu guarda-roupa irá simplificar a maior parte do processo, exceto uma tarefa: as compras. Comprar uma nova peça de roupa será automaticamente mais complicado. A questão é que depois de ter investido o seu tempo na definição do que pretende ter no seu armário de forma a praticar um consumo mais consciente e saber como e onde vai gastar o seu orçamento, a oferta de peças que preencham tais requisitos irá diminuir drasticamente. Pelo que, é perfeitamente aceitável que, ao início, se sinta um pouco frustrada. Mas, o mais provável é que rapidamente se aperceba que essa dificuldade não é tão negativa como aparenta ser. Isto porque, uma vez que os seus requisitos se vão aprimorando, o processo de escolha é muito mais rápido e facilitado. E muitas das peças que há algum tempo atrás apenas iriam atulhar o seu armário nem sequer são consideradas. O que significa que deixará de realizar más compras e o seu armário apenas guardará peças que lhe assentam na perfeição e se enquadram no seu estilo pessoal.

Para tirar o melhor proveito possível das suas compras deve questionar-se se:

1 – Esta peça enquadra-se no meu estilo pessoal?

A primeira vez que olha para uma peça de roupa é atraída pela sua forma/cor/corte quando a vê na prateleira ou no charriot e essa primeira impressão é o primeiro filtro na hora de se certificar se essa peça é o que procura. Logo, é importante que veja cada peça individualmente e compare a sua cor, material, corte e detalhes e se estes estão em linha com o seu estilo pessoal. E aqui deve ser o mais específica que conseguir. Se a resposta a esta questão for positiva está no bom caminho.

2 – Gosto do corte e material da peça?

O corte e o material não são negociáveis. Uma peça de roupa que esteja um pouco fora da sua zona de conforto é algo com que pode trabalhar, mas se o corte não for o ideal para o seu tipo de corpo ou o material não for bem aceite pela sua pele não é, de todo, uma boa aposta. Para lhe poupar tempo no futuro é importante ter sempre presente, no momento da compra, quais os cortes e materiais que privilegia em cada peça. Uma peça na prateleira ou no manequim é sempre diferente de como lhe assenta no corpo pelo que é fundamental que experimente sempre todas as peças que considerar comprar. Quando as experimentar certifique-se que as peças são confortáveis e não lhe retiram mobilidade. Deve ainda informar-se sobre os cuidados que a peça exige e se está disposta a comprometer-se com eles.

3 – Qual será função da peça no meu guarda-roupa?

Antes de comprar qualquer peça deve, pelo menos, ter uma vaga ideia da função que esta terá no seu guarda-roupa. Cada nova aquisição deve estar em harmonia com a estrutura do seu guarda-roupa e com as suas preferências no que à criação de coordenados diz respeito. Mesmo que uma peça se enquadre no seu estilo pessoal, se não conseguir atribuir-lhe uma função, o mais provável é que não seja uma boa aposta.

4 – Vai preencher alguma lacuna no meu guarda-roupa?

Aqui, é importante compreender se a peça que está a considerar comprar é uma peça que realmente precisa e se a irá ajudar a construir o seu guarda-roupa ideal. Como sabe, além de ser um reflexo do seu estilo e personalidade, o seu guarda-roupa deve adequar-se a todas as suas atividades diárias. Pelo que deve tentar manter sempre presentes quais as áreas do seu guarda-roupa que têm falhas de forma a conseguir fazer compras mais informadas e conscientes.

5 – Consigo pensar em 3 coordenados para a usar?

Se a peça que está a considerar comprar “respondeu” positivamente às questões anteriores já deve ter reparado que está perante uma boa aquisição. Mas para uma decisão mesmo consciente confirme a versatilidade da peça ao pensar em diferentes coordenados em que a poderá utilizar. Se o seu guarda-roupa for coerente não lhe deve ser difícil chegar a uma resposta. De qualquer forma se se lembrar de, pelo menos, 3 coordenados em que a peça se encaixaria na perfeição… Não a deixe escapar!

Texto: Lima Limão Consultoria de Imagem

A Rubrica da Vanessa – Amor é…

Segunda-feira, Novembro 13th, 2017

Um raio de sol numa manhã fria. Malhas giras, quentes e confortáveis que aquecem a nossa vida.

É uma fotografia interna, valiosa. Um mundo perfeitamente imperfeito, vivido, sentido e eternamente captado.

É um abraço apertado, caloroso, um sonhar acordado sereno e tranquilo.

É a quietude de quem ama e é amado. 

É um pecaminoso bolo de chocolate, indulgente e perfeito.

Um pedaço de carinho, sorvido alegremente, entre sorrisos gratos e satisfeitos.

Bolo de Chocolate no Micro-ondas

Ingredientes:

4 ovos

1 chávena de açúcar amarelo

1 chávena de farinha

1 embalagem (125gr) de chocolate em pó

1 chávena de óleo

1 chávena de leite morno

Preparação:

Misturar bem todos os ingredientes, exceto o leite.

Depois de bem misturados, juntar o leite e misturar até ficar um creme homogéneo.

Levar ao micro-ondas, numa forma com buraco, durante 7 minutos na potência máxima.

Desenformar e deixar o chocolate escorrer sobre o bolo.

Comer sem culpas e com muito prazer, porque alimentar a mente, também é uma parte importante da nossa vida.

A Vanessa também escreve aqui. Num sitio só seu.

Visitem Um Sonho só Meu

Receita: Sopa de Chuchu e Tomilho!

Quinta-feira, Novembro 9th, 2017

Hoje a  Mary Soliani do blog “O Meu Refúgio Culinário” traz-nos uma receita de sopa com chuchu.

Confesso que não costumo comprar chuchu, mas como sou apreciadora de sopa e consumo bastante, quis partilhar esta receita até porque estou curiosa e quero experimentar.

Ingredientes:

3 chuchus
2 cebolas
2 cabeças de nabo
1 alho-francês grande sem rama
1,2 l de água
0,8 dl de azeite
2 hastes de tomilho
1 curgete
Sal e pimenta-preta q.b.

Preparação:

 Descascar e cortar em pedaços os chuchus, as cebolas e as cabeças de nabo.

Cortar em rodelas o alho-francês.

– Colocar os legumes cortados numa panela. Temperar com sal e pimenta-preta a gosto.

Regar com a água e levar ao lume.

– Quando os legumes estiverem cozidos, desligar o lume.

Adicionar 0,5dl de azeite e triturar com a ajuda de uma varinha mágica.

– Levar 30ml de azeite numa frigideira ao lume.

Adicionar a curgete cortada em pequenos cubos e o tomilho.

Temperar com sal e pimenta-preta a gosto. Assim que a curgete estiver macia, mas crocante, retirar.

– Servir a sopa com a curgete salteada e um pouco do seu azeite.

Bom apetite!

Também podem encontrar a Mary no Facebook e também no Instagram

A Rubrica da Vanessa – Amor é…

Terça-feira, Novembro 7th, 2017

Uma folha colorida, um presente da estação. Um vento fresco que nos aquece e pingas de chuva que nos cantam uma canção.

É uma manta quentinha, que a todos aconchega. Um lar acolhedor, repleto de calor e muito amor.

Duas mãos pequeninas que seguram um coração. Um coração que era nosso e que agora é também deles, das mãos pequeninas, e das grandes que o carregam para todo o lado.  

É uma chávena de chá quentinho e um livro inspirador. Um sonhar acordado, um momento silencioso. Uma companhia peluda de quatro patas e um só acompanhado.

Scones Integrais

Ingredientes:

250 gr de farinha de trigo integral

1 colher de sopa de açúcar amarelo

1 colher de sopa de manteiga sem sal

100 ml de leite

1 ovo

2 colheres de chá de fermento

1 colher de chá de sal

Preparação:

Pré-aquecer o forno a 200º.

Misturar os ingredientes e colocar colheradas num tabuleiro forrado com papel vegetal.

Levar ao forno durante 15 min.

Barrar com manteiga e/ou doce… e comer com satisfação!​

A Vanessa também escreve aqui. Num sitio só seu.

Visitem Um Sonho só Meu

A Rubrica da Vanessa – Halloween!

Segunda-feira, Outubro 30th, 2017

Imagem

Tenho-vos falado sobre trazer o outono para dentro.

Lá fora estão quase 30º e no entanto as lojas vestem-se de elementos decorativos para o Halloween.

Também as castanhas já perfumam as ruas, mas este tempo ainda pede gelados e bebidas refrescantes.

Há quem ainda não esteja no espirito outonal e há quem não goste do Halloween. É verdade que não é tradição nossa, mas rapidamente se tornou numa data comemorativa imprescindível para as nossas crianças.

Se adora o Halloween “enlouqueça” e transforme a sua casa num assustador mundo de bruxas, aranhas e abóboras sorridentes. Se não adora esta comemoração e/ou prefere decorar a sua casa de uma forma mais sóbria, inspire-se nestas imagens que demonstram que com elementos simples e económicos poderá trazer um pouco desta comemoração e desta estação para dentro de casa.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Se os seus filhos adoram esta comemoração, entre no espirito e coloque uma mesa diferente, ainda que simples. Convide familiares e amigos e comemorem a noite mais assustadora do ano. 

Umas aranhas na porta e na mesa de jantar são suficientes para dar o mote para a festa.

A realidade é que qualquer pretexto serve para nos divertirmos. Aproveite este ou outro qualquer, e divirta-se com os seus.

Imagem

Imagem

A Vanessa também escreve aqui. Num sitio só seu.

Visitem Um Sonho só Meu

Rubrica: Sobre as novas e velhas ajudas na maternidade por Sara Passo!

Quinta-feira, Outubro 26th, 2017

Quando temos crianças toda a ajuda é bem-vinda, seja com fraldas, conselhos, mimos ou tempo, tudo serve para nos sentirmos apoiados.

Numa altura em que a “aldeia” que ajuda a tomar conta das crianças é cada vez mais pequena, tentamos procurar apoio nos mais variados sítios.

Hoje em dia existem grupos de mães no Facebook, blogs e sites que nos tiram dúvidas e nos ajudam a sentir mais acompanhadas nesta caminhada que por vezes se faz sem tanto apoio familiar como gostaríamos, é nestes sítios que às vezes percebemos que as nossas dúvidas são normais, que os erros que cometemos já foram cometidos por muitas mães antes de nós e que aprendemos dicas com uma facilidade impossível antes da existência da internet.

É também nestes sítios que “conhecemos” pessoas com vontade de ajudar e que percebem (pois passam pelas mesmas situações) que todas as mães estão apenas a dar o melhor delas em prol das novas gerações e que tal como elas erram e tentam ser cada vez melhores.

Nesta viagem da maternidade, tive a sorte imensa, que infelizmente não chega a todas, de ter igualmente uma rede familiar que me pode ajudar com o seu precioso tempo, falo obviamente desses seres incríveis que desde tempos antigos ajudam novas mães a darem conta do recado, os avós.

No meu caso, os meus sogros que desde o primeiro minuto sempre estiveram como um dos meus maiores apoios com as miúdas lá de casa. São horas de mimos, colo e ajuda preciosas que me facilitam o regresso ao trabalho, que me deixam a cabeça descansada, e não há nada melhor para uma mãe do que ter o descanso mental que tanto precisa para aliviar a culpa do tempo passado a trabalhar para que possa, no curto espaço entre a chegada do trabalho e as horas de banhos e camas estar no seu melhor para lhes dar a atenção que tanto precisam.

Aos avós (todos), os que podem e os que não podem cuidar dos netos, este amor a dobrar é realmente uma das melhores heranças que podem deixar aos netos, esta paciência que parece infinita, o colo que parece que não cansa os braços, os mimos com que criam as minhas filhas, são realmente a melhor prenda que eu poderia pedir. Obrigada.

A Rubrica da Vanessa – Tranquilidade e Conforto!

Segunda-feira, Outubro 23rd, 2017

Imagem

Aconchego, calor, tranquilidade e conforto, são os atributos que devemos trazer para nossa casa e em especial, para os nossos quartos, nesta época.

Tal como na sala, os tapetes, mantas e almofadas, são apontamentos chave. E os edredons macios e quentinhos dão o ar acolhedor que qualquer cama merece.

É possível abusar dos tapetes, almofadas e mantas, misturar texturas, padrões e cores de forma harmoniosa e calorosa.

Inspire-se nestas imagens e traga o melhor do outono para dentro de casa.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

A Vanessa também escreve aqui. Num sitio só seu.

Visitem Um Sonho só Meu

A Rubrica da Vanessa – Inspiração outonal!

Segunda-feira, Outubro 16th, 2017

Imagem

Hoje trago inspiração outonal para as nossas salas.

Cores quentes, texturas, tecidos felpudos, almofadas, tapetes e mantas quentinhas são várias formas de trazer esta estação para dentro de casa.

Em ambientes mais claros e minimalistas, use as texturas para trazer conforto para o lar.

Se gosta de cor, use e abuse das cores quentes, nesta época.

Crie uma paleta de tons do seu agrado e misture estilos, texturas e padrões.

Para um ambiente mais acolhedor, utilize lâmpadas com uma luz amarelada.

Madeiras, móveis escuros e cobres são também formas de aconchegar esta divisão.

Coloque mãos à obra e com pequenos apontamentos, transforme esta divisão num oásis caloroso e convidativo.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

A Vanessa também escreve aqui. Num sitio só seu.

Visitem Um Sonho só Meu

Lima Limão Consultoria de Imagem!

Segunda-feira, Outubro 16th, 2017

Mais uma rubrica da Lima Limão – Consultoria de Imagem com o tema:

Como avaliar a qualidade das peças de roupa

Na hora de comprar novas peças de roupa, o requisito mais importante a ter em consideração é a qualidade. Para tal, é importante saber reconhecer uma peça de qualidade quando nos deparamos com ela. É importante ser capaz de ver a diferença entre a peça de boa durabilidade e bem fabricada e uma peça que parece muito bonita na prateleira e que sabe que não durará mais que uma estação. Para tal, deve saber:

1 – O que distingue uma peça de boa qualidade de uma peça de má qualidade.

2 – Como reconhecer essas diferenças na hora de comprar.

Ora, o que é a qualidade?

Quando se fala em qualidade de peças de roupa rapidamente se associa ao facto desta durar várias estações em bom estado de conservação. Falamos de peças que podemos usar tranquilamente sem a preocupação que se vão danificar à primeira utilização. Falamos de peças que mantêm a sua forma durante um bom período de tempo. Falamos de peças que assentam na perfeição e não nos restringem os movimentos. Falamos de peças que mantêm a mesma cor após várias lavagens. Falamos de peças que demonstrem ser de boa qualidade através dos seus acabamentos: o toque do tecido; o forro da peça; o pormenor das costuras e os pequenos detalhes que as tornam diferentes e originais.

O que distingue uma peça de boa qualidade de uma peça de má qualidade é o esforço que certas marcas fazem para se certificarem que uma peça demonstre ter qualidade depois de fabricada bem como após várias utilizações e lavagens e que se mantém confortável de usar e a assentar na perfeição. Este esforço custa tempo e dinheiro, como é óbvio. Daí ser tão fácil e comum encontrar peças que são muito bonitas na prateleira mas em pouco tempo deixam de estar em condições de serem utilizadas. Isto porque, a fim de minimizar os custos, muitas marcas optam por se focar na criação de peças que apenas ficam bem na prateleira em vez de apostar na qualidade.  É o que traz lucro, sejamos sinceros. Na hora de comprar, a decisão recai muitas vezes na aparência da peça. Muito poucos compradores investem tempo em avaliar a qualidade (ou falta dela!) da peça de roupa.

É importante ter em consideração que, muitas vezes, a qualidade e o preço da peça não estão relacionados. Há artigos mais fáceis de fabricar que outras, o que torna bastante viável a possibilidade de encontrar peças de boa qualidade a um preço baixo. Em contrapartida, só porque uma peça é cara não significa que é de boa qualidade.

Então, como saber se determinada peça tem qualidade?

Primeiro que tudo, é fundamental ver a peça ao vivo. Pode, como é óbvio, espreitar algumas imagens online para perceber se esta lhe desperta qualquer tipo de interesse, mas para determinar a qualidade da peça, só poderá fazer presencialmente através do toque e a devida experimentação.

O primeiro passo é estabelecer prioridades. Nomeadamente descortinar quais são as peças que, para si, devem ter uma boa qualidade e durar mais tempo. Basicamente deve decidir em que peças vai investir mais tempo e dinheiro. A característica mais importante de uma peça de roupa é o material de que é feito. Por muito bons que sejam os detalhes, se o material não for bom, a peça não acrescentará valor ao seu guarda-roupa. Ao avaliar o material da peça é importante ter em consideração a qualidade do material em si e se este é o material mais apropriado para aquela peça em particular. É importante salientar que não existem materiais bons e materiais maus. Todos têm pontos positivos e menos positivos. O segredo está em saber quais são para que a decisão seja o mais consciente possível.

Texto: Lima Limão Consultoria de Imagem

Imagem: Pinterest

Rubrica: Os medos da miúda lá de casa por Sara Passo!

Sexta-feira, Outubro 13th, 2017

A minha filha mais velha tem um colega na escola que lhe mete medo, a ela e aos colegas.

O menino, de acordo com a escola, joga muitos jogos de computador (a minha filha também), vê muita televisão (a minha filha também),  mas pelos vistos aquilo a que tem acesso não é filtrado, portanto os jogos são de armas e guerras, os filmes são violentos e ele gosta de ameaçar que mata toda a gente e tem muitas vezes este tipo de discurso.

Já toda a gente sabe disto, ela também, mas ontem deve ter ficado mais perturbada e à noite chorou, com medo de morrer…

Eu nem sei o que lhe diga, tentei explicar que o menino deve precisar de mimos, de atenção, para tentarem todos falar com ele e explicar, que se matar toda a gente, não tem com quem brincar.

Mas ela estava com medo, ele já repetiu o discurso tantas vezes que aquilo deve estar a entranhar.

Para tentar acalmar aquela menina que chorava, tentei que ela pagasse a maldade dos comentários com amor, porque acho que é com amor que se resolvem os problemas, mas o meu coração de mãe fica preocupado.

Tentei convencê-la, e a mim, que cão que ladra não morde, e que o caso é mesmo falta de carinhos e disponibilidade emocional por parte de quem não está a conseguir lidar com os problemas, ela lá adormeceu mais calma, mas eu fiquei a matutar nisto e agora tenho mesmo que me convencer de alguma maneira que nem toda a gente educa os filhos da mesma maneira, e rezar para que as pessoas com que a minha filha se encontrar ao longo da vida, partilhem os mesmos valores que ela para que eu me sinta e mais importante, para que ela se sinta segura.

A Rubrica da Vanessa – Destralhar!

Segunda-feira, Outubro 9th, 2017

Persiste a ideia de que uma casa cheia traz uma sensação de aconchego e calor, que uma casa mais vazia dificilmente oferece e os meses mais frios provocam, por norma, uma tendência acumuladora. Vivemos mais o nosso lar e isso implica que de algum modo, procuremos colmatar as “falhas” que nele existem.

Sempre que se ouve a palavra destralhar, pensamos automaticamente em minimalismo e divisões vazias. É no entanto, muito mais abrangente do que isso.

Destralhar é um ato libertador.

Sempre que destralhamos, procuramos uma leveza que de alguma forma não existe. E leveza pode ser sinonimo de conforto, ainda que pareçam opostos.

Minimizar o ruído, deixar apenas o que realmente importa, o que valorizamos e amamos, é o segredo para um lar feliz.

Uma casa leve, arejada e fácil de arrumar e limpar, é a casa ideal.

Devagarinho, liberte-se de tudo o que não acrescenta.

Roupa que não se usa, livros, filmes e música de que não se gosta. Objetos que sejam apenas objetos, fotografias, quadros, loiça e móveis que não lhe dizem nada.

Doe e venda o que já não utiliza, deite fora e recicle o que não serve para vender.

Compre apenas aquilo que faz realmente falta. Encha a casa de espaço, de vazio aconchegante e liberte-se daquilo que o prende.

Um lar deve conter apenas amor. Tudo o resto, é desnecessário.

A Vanessa também escreve aqui. Num sitio só seu.

Visitem Um Sonho só Meu

Receita: Courgete Recheada com Carne Picada, Tomate e Queijo!

Segunda-feira, Outubro 9th, 2017

Hoje a  Mary Soliani do blog “O Meu Refúgio Culinário” traz-nos uma receita de courgete recheada. Sou fã de courgete na sopa, mas vou tentar comer assim recheada que deve de ser uma delicia.

Ingredientes:

3 a 4 Courgetes Médias

2 Bifes Picados na Picadora ou outro Robot de Cozinha

Meia Cebola

2 Tomates Pequenos

Queijo ralado

Óleo

Sal q.b.

Alho Moído

Salsa Picada

Preparação:

Começar por lavar as courgetes, partir ao meio e retirar o “miolo da courgete” ficando apenas com a casca (não deitar a casca fora).

Entretanto ligar o forno a 180º.

Colocar um tacho ou uma sertã ao lume, com a cebola picada e um bocadinho de óleo. Assim que a cebola começar a estalar colocar a carne moída (neste caso os bifes picados).

Deixar a refogar um bocadinho e assim que a carne ficar totalmente cozida, acrescentar os tomates partidos aos bocadinhos e o miolo da courgete.

Mexer bem e deixar cozinhar mais um pouco. Temperar, com sal, salsa e alho.

Desligar o fogão e reservar.

Numa assadeira ou pirex, colocar as cascas da courgete e rechear com o preparado anterior. Colocar o queijo por cima de cada courgete.

Levar ao forno, pré-aquecido, até o queijo derreter. São +/- uns 15 minutos.

Bom apetite!

Também podem encontrar a Mary no Facebook e também no Instagram

O Meu Refúgio Culinário – Cheesecake de Maracujá!

Terça-feira, Outubro 3rd, 2017

 

Hoje a  Mary Soliani do blog “O Meu Refúgio Culinário” traz-nos uma sobremesa. E pelo aspecto, deve ser uma delicia.

Ingredientes:

1 Pacote de Bolacha Maria + Vaqueiro Líquida (para a base)

1 Pacote de Natas

1 Embalagem de Queijo de Barrar (pode ser Filadélfia ou marca branca)

1 Lata de Leite Condensado

5 Folhas de Gelatina

1 Iogurte de Maracujá

Compota de Maracujá

Preparação:

Colocar a bolacha na picadora e picar todo o pacote.

Depois colocar a bolacha moída numa bacia e adicionar um bocadinho vaqueiro líquida. Mexer bem.

Colocar esta base, numa forma de aro amovível e reservar.

Na batedeira, bater as natas (batidas até obter o ponto de chantilly).

Acrescentar o leite condensado, o queijo, o iogurte e mexer sempre. Numa malga deitar um bocadinho de água a ferver e colocar as folhas de gelatina a demolhar.

Mexer bem e adicionar ao preparado anterior.

Continuar a bater bem durante uns 3 a 4 minutos e adicionar uma colher de compota de maracujá.

Deitar este preparado na forma, por cima da bolacha.

Levar ao frigorífico, umas horas (eu fiz no dia anterior, para servir no dia seguinte ao almoço).

Antes de servir colocar por cima a compota de maracujá.

Bom apetite!

Também podem encontrar a Mary no Facebook e também no Instagram

A Rubrica da Vanessa – Chegou o outono!

Segunda-feira, Outubro 2nd, 2017

Chegou o outono, e embora os dias continuem quentes e solarengos, as noites frescas já convidam ao conforto.

As casas vestem-se de tons quentes e mantas fofinhas. As luzes cedo se acendem e as velas perfumam o ar.

As romãs e diospiros decoram as nossas cozinhas e os chás aquecem as mãos.

O outono pede calma, paz e ambientes acolhedores. Pede ruas a cheirar a castanhas assadas e comida de forno. Pede bolachinhas quentes e momentos reconfortantes em família.

E porque alterar um ambiente não requer grandes gastos, trago neste início de outubro, várias opções para que se possam inspirar.

Troquem objetos de lugar, mudem as capas de almofadas e tragam as mantas para o sofá.

Invistam em algo que adorem, acendam as velas, abracem os vossos e aqueçam bem esses corações.

1 – Zara Home

2 – CASA

3 – Zara Home 

4 – Zara Home   

5 – Ikea   

6 – CASA

1 – CASA

2 – La Redoute

3 – Catita Illustrations

4 – Zara Home

5 – Create to be happy

6 – CASA

 

 

1 – CASA

2 – Clementin Atelier

3 – H&M

4 – La Redoute

5 – La Redoute

6 – Ikea

A Vanessa também escreve aqui. Num sitio só seu.

Visitem Um Sonho só Meu

Rubrica: Regresso às aulas por Sara Passo!

Sexta-feira, Setembro 29th, 2017

O regresso às aulas este ano foi tranquilo.

A filha mais velha já está habituada, a escola é a mesma e os amigos já estavam à espera para se rever. Em relação ao material escolar, por incrível que pareça, acabámos por comprar a grande parte quando estivemos de férias na Holanda. Sim, fizemos as contas a cadernos, dossiers, canetas e optámos por comprar a maioria das coisas lá, pois saía muito mais barato.

Demos-lhe o miminho dos lápis de cor e carvão serem personalizados na Nomini e como todos os anos, as etiquetas para marcar material, livros e roupa foram encomendadas à Tiketa, porque eu adoro o facto daquilo ficar colado até ao fim do ano, até os tupperwares com as lavagens, não descolam!!

Mas material à parte, com o regresso às aulas, vieram os piolhos, este ano nem foi preciso esperar muito, na primeira semana já andava a criança a coçar a cabeça e quando fui a ver já estava eu e ela com aquilo.

Vou ser sincera, não tenho mesmo pachorra para piolhos, por o produto, andar com pente metálico, catar lêndeas, por a roupa de cama a lavar toda, até já me estão a dar as comichões.

O que me vale é que a bebé escapou e o pai é careca, portanto foram só as cabeludas lá de casa a ter que fazer o tratamento duas vezes, sim, duas, que os gajos não saíram à primeira e passado uma semana ainda haviam lêndeas na miúda.

Dizem que por perfume no cabelo ajuda a prevenir e confesso que no inicio do ano me desleixei com isso, mas agora não falha.

O Meu Refúgio Culinário – Quiche de Cogumelos, Queijo, Fiambre, Azeitonas e Ervilhas,…..!

Terça-feira, Setembro 26th, 2017

Hoje a  Mary Soliani do blog “O Meu Refúgio Culinário” traz-nos uma receita que dá para aproveitar o que tiver no frigorífico, já que desperdiçar é palavra proibida..

Estou desejosa para experimentar 🙂

Ingredientes:

1 Embalagem de Massa Folhada
1 Copo de Leite
3 Ovos
2 Fatias de Fiambre
2 Queijinhos ” A Vaca que Ri”
1 Lata de Cogumelos das Pequenas
1 Pitada de Sal
1 Lata das Pequenas de Azeitonas
Ervilha q.b. (já cozidas)

Preparação:

Estender a massa folhada, colocar os cogumelos, azeitonas, as fatias de fiambre, cortado aos bocadinhos, o queijo também aos bocadinhos e as ervilhas, previamente cozidas.

Deitar o leite, com os ovos batidos e o sal num copo e mexer bem.

Colocar por cima de todos os ingredientes.

Se quiser pode colocar um bocadinho de maionese e ketchup por cima para dar mais sabor.

Levar ao forno a 180º, previamente aquecido, até ficar douradinha e a seu gosto.

Bom apetite!

Related Posts with Thumbnails
Pesquisa
Agenda – Livro

Livro-Agenda

À venda a partir do dia 18/11/2015Comprar livro
O Meu Livro

Livro à venda nas livrarias, papelarias, nos hipermercados e CTT

Veja o video

Spartoo
Niwite
Ellas
Unik
A Festa na Hora
Facebook

Canal no You Tube

Instagram

Pinterest

Twitter

Dica da Semana

Dica da Semana

No dia-a-dia:

- Pratique a regra dos 30 minutos. Vai ver que a sua vida melhora.


A Dona de Casa Perfeita - 2008/2016 - Alojado por tetoOnline